25

nov

como-evitar-carrapatos

Como evitar os carrapatos

O seu animal de estimação anda com coceiras? Você já chegou a ver uma “pinta” que não existia? Atenção, isso pode ser carrapato! Esses parasitas causam coceiras e podem gerar várias doenças em cães e gatos. A notícia boa é que são fáceis de identificar!

Ao observar pequenas bolinhas pretas grudadas no corpo entre a pelagem, remova-os e fique atento ao comportamento e saúde do seu animal de estimação para poder agir rápido, caso ele esteja infectado por alguma das doenças transmitidas pelos carrapatos.

Esses parasitas se alimentam do sangue do hospedeiro, mas não procriam nele. Ao invés disso, descem do corpo, colocar seus ovos no ambiente e quando os novos carrapatos nascem, procuram um hospedeiro para si. Por isso tirar apenas os que estão no cachorro ou gato não é suficiente, é necessário também fazer uma limpeza geral onde o pet vive e frequenta, já que lá devem ter ovos espalhados capazes de iniciar um ciclo sem fim de infestação.

Alguns exemplos de doenças que podem ser transmitidas por esses parasitas são: babesiose, erliquiose, doença de Lyme, febre maculosa e paralisia do carrapato.

Todas as doenças transmitidas pelos carrapatos devem ser tratadas com urgência por veterinários. A melhor forma de identificar uma possível doença é observar se seu pet fica desanimado como se estivesse deprimido, alguns dias ou até 3 semanas após ter tido algum carrapato.

Removendo o carrapato do corpo do pet de maneira correta

1) Você pode retirar os carrapatos manualmente, porém não use seus dedos, prefira uma pinça com pontas cegas ou uma pinça hemostática.

2) Use sempre luvas descartáveis e tenha cuidado para não esmagar o carrapato na hora da remoção.

3) Agarre o corpo do carrapato bem próximo à pele do animal e puxe-o para fora em linha reta, suavemente na direção oposta. Isso fará com que as peças bucais se soltem mais facilmente.

Após remover, lave o local com sabão líquido antisséptico ou pincele usando cotonete com um pouco de água oxigenada. Aplique uma pomada antibiótica indicada pelo veterinário e se ficar uma saliência no tamanho de uma espinha no local da picada, pode ficar tranquilo pois é normal e some em poucos dias. Caso a picada não suma, leve ao veterinário para verificar se houve alguma infecção.

Como evitar a proliferação de mais carrapatos?

Cheque regularmente a pelagem do seu pet em busca desses parasitas. Use coleiras de proteção carrapaticidas, banhos com shampoos especiais anti-carrapatos e em casos de infestação, renove o banho a cada 15 dias.

Em animais com pelo longo, faça a tosa durante o verão, pois é uma época em que há uma maior incidência de carrapatos e cheque, principalmente, as áreas que o pet tem dificuldade em alcançar como: orelhas, patas, costas e cabeça. Dedetize o ambiente com produtos carrapaticidas, ou se necessário, procure uma dedetização profissional para o ambiente.

O seu pet já sofreu com esse mal antes? Como ele reagiu?

Fontes: Cachorro gato, Portal do dog, Blog do cachorro, Gazeta online.

Comentários
TAGS